É meu povo, não tava curtindo mesmo sofrer sem necessidade, então resolvi desamarrar meu jeguinho do estágio. Em outras palavras, desisti mesmo.

Para alguns, isso vai soar como fraqueza, falta de força de vontade. Para outros, eu estou apenas buscando o que me faz bem. Enfim, não importa o que acham de mim. Cada um sabe o que é melhor para si, não é?

De qualquer forma, não estou desistindo da área de comunicação. Pelo menos, não ainda… preciso de mais tempo pra praticar o francês e é isso… só isso!

Agora vou me dedicar só ao mestrado, por enquanto. Vou procurar um emprego de verão e ver no que dá. Na sessão de inverno volto a focar apenas nos estudos. E ano que vem… ahhhh, ano que vem… aí sim eu vou encarar a busca de emprego na área de comunicação, e se der certo, bem, se não, amém!

Nem tudo são flores na vida de um imigrante. Cair e levantar, tentar, errar, fazer de novo... tudo isso faz parte da jornada.

E vamo que vamo, sempre, de um jeito ou de outro.

Bjokas
13 de mar de 2011

Horário de verão

Oi meu povo

Registro: começou hoje, aqui em Québec, o horário de verão. Nossos relógios foram adiantos em uma hora, então a diferença de horários entre Brasil e Québec agora é de apenas uma hora.

Bjokas
O que posso dizer neste momento? Ah, sim… não sei…

É assim que me sinto todos os dias no estágio, com a língua presa, gaga, atordoada. Caracas gentem, porque o danado do francês não sai logo. Eu sei que sei mais do que tenho falado ultimamente e, mesmo assim, ainda tá difícil manter um diálogo sem crise.

Ah, o telefone? Nem me falem nisso. Fujo dele como o diabo foge da cruz... sério. Tenho pavor em pensar em pegar o danado e ligar pra alguém. E os patrocinadores do evento que eu tô ajudando a organisar? Sei lá, ainda continuo fugindo deles… até agora liguei pra dois. Entrei em contato com alguns outros por e-mail, pois escrevendo dá tempo de pensar e não dizer tanta bobagem.

Ai, sei que tô parecendo uma covarde. Vai passar, tem que passar. Medo de falar, eu??? Imagina… rs… quem me conhece deve estar pensando : « acho que a Patricia caiu de cabeça no chão e pirou de vez ». Pois é, sempre falei pelos cotovelos e agora isso, mudez quase total.

Mas como diz o ditado (lá venho eu com ditados novamente), o que não mata fortalece. Então tá. Vou sair desta experiência mais esperta, ou mais muda, sei lá. Pelo menos a « ficha caiu » (coisa antiga, né?). Tenho que dar mais a cara a tapa e falar, falar, falar… para o desespero do marido… rs.

E vamo que vamo.

Bjokas
Oi meu povo...

Como o marido adiantou no post anterior, eu comecei a fazer um estágio como agente de comunicação. Farei 14 horas por semana, por 13 semanas, às segundas e terças-feiras. Até aí, tudo perfeito, pois tenho curso nas quartas e quintas e me sobram as sextas, sábados e domingos pra fazer os trabalhos do mestrado. Mas como nem tudo são flores, eu me meti na maior enrascada e agora tô f...

Pois é, nem sei por onde começar o meu trabalho lá no estágio. Trabalhar com comunicação no Brasil, falando e escrevendo em português, já é um sufoco, imagina agui? Onde eu estava com a cabeça quando decidi entrar no mestrado e continuar na mesma carreira? É gente, tô surtando de verdade. O medo (que em geral não é parte integrante da minha vida) está colado no meu pé e não larga mais... 

Eu tô literalmente apavoradaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!

Vou explicar melhor o porquê. No estágio, faço parte de uma equipe que tem que organizar uma regata. Dentre todas as tarefas que envolvem a organização de um evento (isso inclui escrever muito), está a busca por patrocinadores... ai ai ai... quem já fez isso no Brasil sabe o quanto é fogo convencer alguém a patrocinar seu produto, serviço ou evento. Convencer em francês vai ser, no mínimo, um desafio daqueles. E confesso, tem hora que eu não entendo nada do que o povo aqui fala. Parece que na faculdade eu escuto um francês diferente da rua. O que eu faço agora???

Gente, eu não tô reclamando da oportunidade (pelo contrário, agradeço todos os dias tudo, tudinho mesmo), só desabafando pra ver se o medo vai embora junto com as palavras.

Vou ter que organizar tudo o que tenho pra falar para as empresas, construir um roteiro e segui-lo a risca pra não dar rata. Além disso, tenho que rezar pra falar com pessoas que tenham uma boa dicção e que não falem como se estivessem com uma batata quente na boca. E vamo que vamo...

Espero que meu medo va se diluindo até segunda, pois eu já cheguei ao cúmulo de ficar imagindando as mais diferentes formas de ficar doente subitamente pra não ter que voltar mais neste estágio. Ninguém merece... rs

É meu povo, volto na semana que vem pra contar como foi o primeiro episódio desta aventura... vai ser a prova de fogo pra saber quem é mais forte: eu ou o medo.

Bjokas
8 de fev de 2011

Só comigo mesmo!

Amigos, tem coisas que só acontecem comigo mesmo. Mas antes de contar o que aconteceu, vou dar as boas novas.
A Paty está trabalhando no Carnaval e acabou de receber a noitícia de que passou numa entrevista de estágio como agente de comunicaçao e vai começar na segunda-feira próxima.
Eu terminei o estágio hoje porque amanha começo a trabalhar para o Governo do Québec, mais exatamente no Revenu Québec (Receita estadual daqui).
O processo foi longo, pois passei no concurso em junho do ano passado.
Bom, vou detalhar como foi:
- Chegamos aqui em abril de 2010 e neste mesmo mês fiz a inscriçao para o bendito. A inscriçao aqui é como preencher um cadastro de emprego no Brasil.
- O concurso foi em junho. Quase 7 horas de concurso e mais de 2 mil pessoas prestando.
- O resultado da prova veio só em setembro.
- Em outubro enviei a "Avaliaçao comparativa de estudos do MICC" como solicitado.
- Em novembro recebi uma carta dizendo que estava tudo ok e que começaria a receber ofertas de emprego à partir de janeiro 2011. O concurso é como aqueles do Brasil de cadastro de reserva. Você passa na prova depois espera abrir a vaga.
- Em dezembro ainda, recebi uma primeira proposta. O procedimento após receber a proposta é enviar o curriculum. Depois tem a entrevista. A vaga nao era boa, mas fiquei frustrado por nao terem aceito meu curriculum e nem me chamado para entrevista.
- Fomos ao Brasil para as festas de fim de ano e voltamos dia 14 de janeiro. No dia em que chegamos vi que tinha recebido mais 3 propostas e à partir daí elas nao pararam mais. Foram pelo menos 10 propostas e meia dúzia de entrevistas até que aceitei a vaga no Revenu Québec. Ainda tenho mais 2 entrevistas para essa semana que preciso desmacar.
Bom, aceitei a vaga no Revenu Québec por 3 motivos: 1. Do lado de casa, 15 minutos à pé. 2. Sou contador e trabalhar na receita vai me dar uma grande bagagem. 3. Porque me receberam super bem, pessoal muito gentil e agradável.

Agora sim posso contar o que é que só acontece comigo mesmo.
Alguns órgaos públicos estao entrando em greve e pode ser que no meu primeiro dia de trabalho eu ja comece em greve. É mole?

Abraço à todos.
25 de jan de 2011

O primeiro trabalho

Oi meu povo, não é que 2011 está começando bem, obrigada? Nós, marido e eu, arrumamos nosso primeiro trabalho por aqui.

O marido começou ontem a fazer um estágio na área dele (contabilidade). A duração do estágio é de um mês, não remunerado, mas o fato de ter uma experiência aqui e adquirir a famosa “referência” québécoise já valem a pena. Além disso, ele tem algumas entrevistas agendadas para esta semana. Vamos ver no que dá...

Eu começo na sexta-feira a trabalhar no Carnaval de inverno de Québec. É um trabalho temporário, menos de três semanas, mas também será minha primeira referência por aqui. Eu ficarei na bilheteria do carnaval, vendendo as « effiges », os famosos « laissez passez » do evento (em português, os bilhetes de entrada). Trabalho sussa, mas também tá valendo a pena… ;)

Por enquanto é isso, meu povo. Depois conto como foi esta primeira nossa primeira experiência.

Bjokas
Um ano terminou e outro nasceu sem que eu realmente me desse conta. Nem acredito que hoje já é dia 17 de janeiro... Já já vai fazer um ano que a gente tá no Canadá, dá pra acreditar?

Enfim, o ano começou bem quente pra gente, pois estavamos no Brasil. Aliás, achei que lá tava quente demaissss. Passei um calor absurdo e nem conseguia ficar no sol direito. Tanto que voltei pra casa sem mudar muito a cor pálida...rs. Mas tá valendo, e muito. Foi bom estar lá.

Por aqui a coisa tá bem diferente. O frio também está de lascar. Mas até que eu gosto... eheheheh. Hoje a temperatura chegou a -20 pela manhã com sensação térmica de -29. Amanhã a previsão diz que ela subirá para -8. Tá bom então, né?

Fora o tempo, a vida está calma... por enquanto. Minhas aulas já começaram, mas a pauleira dos trabalhos ainda não. O marido terminou a francisação no ano passado, bem como os dois cursos que fez pra conhecer os softwares utilisados em contabilidade por aqui. Agora ele começou a maratona de busca de emprego e tenho certeza que em breve ele vai encontrar algo muito bom e que o faça feliz.

Os amigos estão todos na rotina de estudos e/ou trabalho, então a gente só se vê nos finais de semana.

E assim a vida segue seu rumo, meu povo, na paz e tranquilidade proporcionadas pelo Canadá.

Bjokas