29 de mai de 2009

Reembolso do curso de francês

Olá pessoal

Eu e o marido estudamos na École Québec, como muitos já sabem, e adoramos lá. O curso é direcionado para os futuros imigrantes, a dona da escola (Cath queridona) é Québecoise, e a maioria dos professores também são. O melhor é que a gente cria um elo de amizade com todos que frequentam as aulas de lá, pois estão todos no “mesmo barco”.
Mas infelizmente tivemos que parar os estudos após a entrevista, pois é hora de guardar dindin pra imigrar. Então decidimos fazer um curso intensivo de férias na Aliança Francesa, pois o valor que pagaremos será reembolsado pelo governo do Québec (reembolso de até 1500 dólares canadenses).
Eu tive algumas dúvidas se poderia ou não me inscrever no curso após a obtenção do CSQ e mesmo assim ser reembolsada, mas segundo o site do ministério da imigração isso é possível.

E vamo que vamo...

Bjokas

Texto retirado pois já consta neste blog (clique aqui)
Esposa viajou....rsrsrsr
Olá galera
Só hoje resolvi deixar a preguiça de lado e fazer o teste de nível da francisation en ligne. Para minha surpresa, assim que terminei a prova recebi o resultado, já foi confirmada a minha inscrição, e o curso já está disponível. Aliás, já sei quem é minha tutora, quem são os outros participantes do meu grupo e também já comecei o primeiro módulo.
O estranho disso tudo é que o marido fez a prova há vários dias e até agora nada de liberarem o curso para ele. Assim como ele, vários amigos também estão esperando a liberação do curso e nada...
Sei lá o que aconteceu, vai entender...
Eu achei que também fosse ficar na espera vários dias, mas ao contrário, foi tudo na mesma hora, automático, sem espera, sem estresse.
Estou surpresa, mas quero muito que o marido e os amigos saiam dessa espera logo. Todo mundo quer estudar, aperfeiçoar o francês (dito francófono...rs) e chegar ao Québec mais preparado.
Realmente não dá pra entender o critério do MICC para o início do curso!
Ah, depois falo mais sobre como funciona a francisation.
Bjkas
19 de mai de 2009

Cadê o endereço no e-CAS?

Oi galera
Nós temos consultando o e-CAS todos os dias e nada, nadinha até agora. Apenas o nome lá, nada de endereço.
Vi em alguns blogs que o pessoal que iniciou o processo Federal em janeiro deste ano está na mesma situação, ou seja, esperando...
Em alguns casos já consta o endereço no e-CAS, mas mesmo assim, para por aí.
Pois é galera, sei que a palavra de ordem de todos os futuros imigrantes é “esperar”, mas alguém tem uma boa dica pra segurar a ansiedade enquanto isso?
Confesso que estou me segurando, mas a vontade de ver a coisa acontecer logo é maior que eu.
Enfim, vamos levando. Enquanto o processo não anda, nos mantemos trabalhando, levando a vida cotidiana, com aquela motivação de dar inveja a um bicho preguiça...
Mas como tudo tem seu lado bom, conhecemos muitas pessoas e fizemos muitos amigos durante essa caminhada. Sempre nos encontramos com esse pessoal que também vai imigrar. Temos tido bons momentos juntos e, como costumamos dizer, fazemos uma sessão divã coletiva pra extravasar as neuras e segurar a ansiedade.
O mais legal é que esse grupo de amigos não para de crescer. Estou adorando isso... rs
Acho que até a nossa partida será a companhia dessa galera que vai segurar a nossa onda!
Bjokas
14 de mai de 2009

Francófona, eu???

Gente, o marido esqueceu de esclarecer uma coisinha no post anterior, a gente recebeu o danado F - de francófono - na entrevista, mas isso não significa que somos na prática. Então, chego a algumas conclusões:
1- Treinamos direitinho para a entrevista.
2- Fomos simpáticos o suficiente.
3- Isso ajudou e ferrou a gente...
A explicação para o item 3 é simples, nosso francês ainda precisa ser aperfeiçoado, e muito, pra chegar na fluência. Mas de qualquer forma passamos, recebemos o CSQ e não temos do que reclamar.
Agora é esperar o pedido dos exames. Aliás, se meu cronograma (mental e extremamente pessoal, baseado nos relatos de companheiros que já passaram por isso) estiver correto, receberemos o pedido dos exames no final desse mês. Mas, se minha bola de cristal particular estiver errada, não haverá outra coisa a fazer senão esperar.
Enquanto isso a gente vai sonhando por aqui mesmo...
Bjokas
13 de mai de 2009

Francófono???

É pessoal, hoje passamos por um misto de sentimentos. Mais um casal amigo nosso foi aprovado na entrevista, ficamos muito felizes. Parabéns.
Porém, eles nos alertaram sobre algo que nos havia passado desapercebido. Quem é considerado francófono na entrevista não tem direito a fazer a fracização no Québec.
Buáááááá.
É, não adianta chorar. Provavelmente teremos que desembolsar alguns dólares para estudar, algo que não estava previsto.
Ok, quem disse que ia ser fácil....rsrs
Abraço.
12 de mai de 2009

Saque do FGTS no exterior

A mídia publicou ontem e vale a pena a gente ficar por dentro...

Para aliviar a situação dos brasileiros em dificuldades no exterior, o MTE (Ministério do Trabalho e Emprego) aprovou, na semana passada, o saque no exterior de recursos do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço).

O benefício é conferido a trabalhadores que saíram do País há mais de três anos e que possuem conta inativa no Brasil.

A medida visa amenizar os impactos da crise financeira mundial no bolso dos brasileiros que, na época em que deixaram o País, não puderam sacar os recursos que lhe pertenciam.

De acordo com o CNIg (Conselho Nacional de Imigração), órgão vinculado ao MTE e responsável por elaborar a medida, o benefício deverá entrar em vigor ainda este ano e será concedido por meio da Caixa Econômica Federal, em articulação com o Conselho Curador do FGTS.

Segundo o presidente do CNIg, Paulo Sérgio de Almeida, o acesso ao FGTS no exterior é uma demanda há algum tempo cobrada pelo conselho. "Começamos a verificar que os brasileiros no exterior não tinham acesso ao Fundo. São pessoas que trabalharam no Brasil e não puderam fazer o saque dos fundos. Eles merecem esse direito."


Fonte: http://www.aquidauananews.com/index.php?action=news_view&news_id=146048
Oi galera, ó eu aqui traveis...
Acabei de receber um e-mail de confirmação para participar da francização on-line. Depois que eu escrevi o último post comentando minha angústia, me irritei e mandei outro e-mail para eles, só que em inglês. Disse que escreveria em inglês para ser entendida, já que em francês não estava conseguindo me expressar perfeitamente. Resultado, em menos de 2 horas recebi a resposta positiva... ehehehhe
Agora é começar a estudar e tirar o francês desse nível drástico em que ele se encontra.
Sei que a gente só aprende uma língua de vez quando passa a vivenciá-la no dia-a-dia. Já passei por isso antes, pois quando fui morar nos EUA tinha estudado inglês aqui por seis anos e quando cheguei lá me senti uma analfabeta na língua. Mas em pouco tempo tudo se acertou, passei a me virar bem, estudar, passear...
Meu medo agora era chegar a Québec com um francês não tão bom assim e não ser capaz de me virar no começo. Enfim, agora não tem mais desculpa, o negócio é estudar.
Bjokas
Pois é gente, fiz a entrevista no dia 25/3 e na sequencia fiz meu cadastro para participar do curso de francização on-line. Fiz besteira. Não fui aceita, pois alegaram que eu ainda não tinha o CSQ.
Um mês depois, tentei refazer o cadastro e não fui aceita, pois já havia sido feito antes. Tentei entrar usando a senha que tinha e está bloqueado. Mandei e-mail solicitando revisão do pedido de participação no curso e não recebi nenhuma resposta.
Esta semana mandei outro e-mail solicitando mais uma vez a revisão do pedido, e, pra variar, nada de resposta.
Já não sei mais o que faço para participar desse curso bendito. Todo mundo que fez a entrevista no mesmo dia ou época que eu já foi aceito, inclusive o marido, acreditam?
Vou mais uma vez tentar me cadastrar. Vamos ver no que dá. Só sei que preciso estudar... e muuuiiitttooooo!!!
Bjokas
Oi galera
Neste feriado a gente estava passeando na praia, mas os devaneios e pensamentos sobre a vida no Canadá não largavam do meu pé, ou melhor, da minha cabeça... Isso é normal comigo, fico pensando como será cada detalhe, cada coisinha por menor que seja. Mas durante esse tsunami de pensamentos percebi que não tinha ideia de como ficaria nossa situação eleitoral no Brasil a partir do momento que declararmos saída definitiva do país.
Eu já morei nos EUA, mas por tempo determinado, e na época poderia ter votado no consulado brasileiro lá, desde que fizesse um cadastro antes. Como perdi a data para o tal cadastro, simplesmente não votei e quando voltei para o Brasil fui até o cartório eleitoral e justifiquei.
Mas como agora a situação é diferente, e vamos sair sem previsão para voltar, o marido e eu demos uma olhadinha no site do TSE e encontramos o seguinte:

Os cidadãos brasileiros residentes no exterior, maiores de dezoito anos, também devem cumprir suas obrigações eleitorais (alistamento e voto), salvo os maiores de setenta anos e os analfabetos. Os portadores de deficiência física ou mental que impossibilite ou torne extremamente oneroso o cumprimento das obrigações eleitorais poderão requerer a não-aplicação das sanções legais, na forma das Resoluções-TSE n os 20.717/2000 e 21.920/2004.
Aos que possuem domicílio eleitoral no exterior, o exercício do voto é exigido apenas nas eleições para presidente da República.
Aqueles que, embora residindo no exterior, mantenham seu domicílio eleitoral em município brasileiro continuam obrigados a votar em todas as eleições, devendo, portanto, justificar suas ausências às urnas enquanto estiverem fora do País, a fim de permanecerem quites com a Justiça Eleitoral.
O Código Eleitoral prevê a criação de mesas de votação no exterior somente em locais que possuam ao menos 30 (trinta) eleitores inscritos, mas os eleitores com domicílio eleitoral fora do Brasil podem votar na mesa receptora de votos mais próxima, desde que localizada no mesmo país, de acordo com a comunicação que lhes for feita.
A votação fora do território nacional é organizada pelo Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal, com o apoio dos consulados ou missões diplomáticas em cada país.
As seções eleitorais para o primeiro e segundo turnos de votação serão organizadas até 60 (sessenta) dias antes da eleição e funcionarão nas sedes das embaixadas, em repartições consulares ou em locais em que existam serviços do governo brasileiro. Excepcionalmente, o Tribunal Superior Eleitoral poderá autorizar a abertura de seção eleitoral fora de tais locais.


Também verificamos que:
O eleitor que não votar em três eleições consecutivas, não justificar sua ausência e não quitar a multa devida terá sua inscrição cancelada e, após seis anos, excluída do cadastro de eleitores.

É isso aí galera, nosso dever para com a democracia brasileira continua mesmo morando em outro país.
Bjokas